Dúvidas frequentes em reprodução assistida

Como funciona o processo de Embriorecepção? Quando é indicado este tratamento?

O uso de embriões doados é uma excelente opção para casais em termos de efetividade e também é um tratamento muito menos desgastante, pois o embrião já está pronto, precisando apenas preparar o útero para seu recebimento. É indicado a casais que possuem dificuldades na gestação ou que não obtiveram sucesso em tratamentos de reprodução assistida anteriores com gametas próprios. Esses embriões normalmente são doados por casais que já tiveram filhos e voluntariamente aceitaram compartilhar esta alegria com outros casais. As pessoas interessadas avaliam as características físicas do casal doador para a aprovação.

A biópsia de embriões é realizada apenas em embriões frescos ou congelados também?

Pode ser realizada tanto em embriões frescos como em descongelados.

Quais as chances de engravidar na transferência de apenas 1 embrião? Existe algum cálculo que estime isso?

Depende muito da idade da mulher que gerou o óvulo, variando entre < 5% (mulheres com mais de 43 anos) até 30-40% (< 30 anos).

Vale a pena fazer alguma investigação sobre a questão dos abortos recorrentes antes de uma nova transferência?

Qualquer investigação deve ser discutida com o seu médico para um bom aconselhamento; existem alguns exames úteis, dependendo da situação. Em geral a chance de sucesso, mesmo com vários abortos prévios é boa, mas depende muito da idade da mulher que gerou os óvulos.

Aos 35 anos, existe uma boa chance de gravidez natural?

Vários fatores interferem na chance de gravidez natural: qualidade do sêmen, frequência sexual, regularidade da ovulação, saúde das trompas e do útero.

Gostaria de saber se depois de uma histeroscopia cirúrgica fica mais difícil a implantação do embrião?

Não.

Fator masculino atrapalha muito nas chances de sucesso com FIV?

Na FIV, não precisamos de uma grande quantidade de espermatozoides, de forma que uma qualidade seminal abaixo da normalidade não afeta muito as chances de sucesso.

O médico ajuda na escolha da ficha para óvulos doados ou embriões doados? Como funciona?

Sim, tanto o médico quanto a equipe do laboratório auxiliam na escolha dos óvulos/embriões doados, baseado nas características físicas dos futuros pais e dos doadores.

Pra quem tem baixa reserva é melhor fazer induções seguidas ou tem o mesmo resultado se fizer a cada 2 ou 3 meses por exemplo?

Tem o mesmo resultado. O problema de demorar 2-3 meses para cada indução é perder muito tempo.

A aderência devido cirurgia de endometriose compromete o sucesso da FIV?

Não.

Qual a possibilidade de sucesso em uma FIV de uma mulher de 34-35 anos?

Depende bastante da reserva ovariana. De uma forma geral, a chance de sucesso, considerando todos os embriões formados, é de aproximadamente 40-50%.

Qual a porcentagem de sucesso em uma inseminação artificial, contando que essa mulher esteja com o sistema reprodutor (ovários, tubas uterinas e útero) em perfeito estado?

Depende de vários fatores, como idade da mulher, tempo tentando engravidar, e qualidade do sêmen.

Aos 34-35 quantos embriões, no caso de uma FIV costuma ser implantado e qual a legislação, se houver, que defende essa quantidade?

Não existe legislação. Entretanto, o Conselho Federal de Medicina determina que: “Quanto ao número de embriões a serem transferidos, fazem-se as seguintes determinações de acordo com a idade: a) mulheres até 35 anos: até 2 embriões; b) mulheres entre 36 e 39 anos: até 3 embriões; c) mulheres com 40 anos ou mais: até 4 embriões; d) nas situações de doação de ovócitos e embriões, considera-se a idade da doadora no momento da coleta dos oócitos. O número de embriões a serem transferidos não pode ser superior a quatro.“

Créditos Dr. Wellignton de Paula Martins

Por Luiz Fernando Gonçalves Borges – médico ginecologista e obstetra, pós-graduado em Reprodução Humana