SARS Cov-2 (COVID-19): vacinas, reprodução assistida e grávidas – Posição atual conjunta

Grandes avanços dos estudos colaborativos incluem hoje pelo menos 85 vacinas pré-clínicas em investigação ativa em animais, 65 em ensaios clínicos em humanos, com 20 vacinas que chegaram aos estágios finais de testagem, sendo 12 já em uso em diferentes países/situações.As principais vacinas disponíveis estão constituídas por partículas de RNA mensageiro (Pfizer-Biontech e Moderna), vírus inativado (CoronaVac , Sinopharma e Covaxin, Bharat Biotech), com adenovirus (Oxford-AstraZeneca, Johnson&Johnson e Sputnik V, Gamaleya).

A pandemia segue, e neste momento a discussão se centraliza no uso das vacinas disponíveis e as pacientes submetidas às técnicas de reprodução assistida, grávidas e populações de risco entre as grávidas. Nossas sociedades, avaliando também as diretrizes emitidas por sociedades mundiais como a ESHRE, a ASRM, a IFFS e a ACOG (SOGC), consideram que dentro da disponibilidade possível:

1-A vacinação tem efetividade e não induz a risco aumentado de contrair a infecção por Covid 19. Embora ainda não hajam estudos humanos de longo prazo sobre a vacinação contra Covid-19 e gravidez, nenhuma das vacinas contém vírus Sars Cov-2 vivo.

2-Para indivíduos vulneráveis,que apresentam alto risco de infecção e / ou morbidade por COVID-19, dentre os quais estão as grávidas, não receber a vacina supera o risco de ser vacinado, previamente ou durante a gravidez. Inclui-se ainda neste grupo os profissionais de saúde e aqueles outros, de linha de frente, com maior risco de exposição.

3-Não há razão para atrasar as tentativas de gravidez ou tratamentos de reprodução assistida quando de vacina não disponível ou se pacientes fora de grupos de risco.

4-Decisões da utilização (ou não) das vacinas devem ser compartilhadas entre pacientes e médicos, respeitando-se os princípios éticos de autonomia, beneficência e não maleficência.

5-Esta informação sobre vacinas deve ser incluídas como um termo específico em um consentimento informado já existente.

6-Seguirão atualizações, a cada momento que novos conhecimentos solidifiquem os dados atuais.
REDLARA – Red Latinoamericana de Reproducción Asistida
SBRA – Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
SAMeR – Sociedad Argentina de Medicina Reproductiva
AMMR – Asociación Mexicana de Medicina de la Reproducción PRONÚCLEO – Associação Brasileira de Embriologistas em Medicina Reprodutiva SAEC – Sociedad Argentina de Embriología Clínica
SOCMER – Sociedad Chilena de Medicina Reproductiva
ACCER – Asociación de Centros Colombianos de Reproducción Humana SURH – Sociedad Uruguaya de Reproducción Humana
AVEMERE – Asociación Venezolana de Medicina Reproductiva y Embriología

Por Luiz Fernando Gonçalves Borges – médico ginecologista e obstetra, pós-graduado em Reprodução Humana